2020 – quarentena, isolamento, trabalho e novos hábitos

Postado dia 25 de Maio de 2020

Era final de 2019 e as expectativas pra 2020 estavam lá em cima.

O ano começou bem. Viagem programada, vários planos e projetos novos na cabeça. Em fevereiro eu decidi pintar as pontas do meu cabelo de rosa, uma vontade que eu tinha já há um tempo, mas não sabia se ia ter paciência de cuidar e manter a cor. Depois de pintar, me senti ótima! Com a sensação de que deveria ter feito isso antes.

Essa foto eu tirei no dia seguinte (aliás, quem fez essa cor linda no meu cabelo foi a maravilhosa da @prisdelfino ♡) e dá pra ver como eu fiquei felizinha :)

Até que alguns dias depois eu fui roubada na rua enquanto estava à caminho da terapia (pois é). Nunca tinha passado por isso antes e foi um momento horrível. Não aconteceu nada muito grave, mas foi o suficiente pra me desestabilizar completamente. Me afastei das redes sociais e fiquei bem introspectiva por um tempo.

Mas, vida que segue, estava conseguindo ficar de boa de novo, fiz ensaios, saí, conheci pessoas incríveis, e aí veio a pandemia e o isolamento social.

No final de março comecei a fazer home office, e estou indo uma vez por semana presencial em escala de revezamento.

Desde então vejo grande parte das pessoas na internet falando que não aguentam mais ficar em casa, que estão se sentindo angustiadas, mais ansiosas e fico me achando estranha por estar sentindo o contrário. Minha saúde mental melhorou muito! Sei que cada um tem seu jeito de processar e lidar com as coisas, mas não consigo deixar de me sentir assim.

O principal foco da minha terapia sempre foi o meu trabalho. Mais especificamente como eu estava me sentindo cansada, desanimada e desmotivada. E nesse período em casa, pensando comigo mesma (tive que pausar a terapia porque a clínica não tem atendimento online), eu percebi que o problema não é o meu trabalho em si (é o trampo mais legal do mundo? Não, não é, mas ok), mas o que me fazia muito mal era me sentir inútil lá. Juro, era exatamente assim que eu me sentia boa parte do tempo.

A minha maior demanda acontece nas duas últimas semanas do mês e meu dia é bem corrido e completamente preenchido nesse período. Por outro lado, na primeira quinzena eu ia pra lá e não tinha coisas pra fazer que ocupassem as 8h que eu precisava ficar ali. Então eu passava muito tempo sendo improdutiva e pensando nas mil coisas que eu poderia fazer se estivesse em qualquer outro lugar.

E agora, trabalhando de casa, eu acordo 2 horas mais tarde do que eu teria que acordar pra ir até o trabalho, acesso o sistema, entro no meu e-mail, respondo alguma coisa que tiver pra responder, daí vou regar minhas plantas, lavar louça, ler um livro na varanda tomando um solzinho com os meus gatos, tomo café da manhã com calma, sentadinha na mesa, de duas em duas semanas eu faço uma máscara de argila no rosto. Durante o restante do dia vou olhando meu e-mail de tempos em tempos, faço o que eu precisar fazer, se estiver tudo tranquilo, leio mais um pouco, assisto alguma coisa, fico fotografando coisas em casa, procurando conteúdos pra me inspirar (fiquei viciada no pinterest).

E tudo isso era impensável antes. Skin care? Ler? Faz tempo que essa varanda tá aqui nesse apartamento? Nunca nem vi. Mesmo tendo os finais de semana livre, eu não tinha ânimo nenhum pra qualquer uma dessas coisas. Durante a semana eu chegava super cansada e só queria ficar jogada no sofá pensando que eu deveria levantar, ir lavar louça, fazer comida, tomar banho, mas não tinha forças pra tirar a bunda de lá e isso era muito frustrante.

Dos hábitos que eu adquiri nessa quarentena, o que me deixou mais feliz, foi ler! Eu peguei um livro (são 2 livros em 1 na verdade) que eu ganhei no natal de 2017 e fiquei super orgulhosa por ter lido ele todo! É um livro que eu queria muito ler, sobre um assunto que me interessa, que eu curto, mas que na rotina que eu tinha, não conseguia ter vontade de arrumar um tempo pra ele, sabe? E um pouco antes de terminar aquele, já comprei outro, terminei, engatei mais um e já tem mais 4 na minha lista de desejos na amazon.

Eu nunca fui uma pessoa dos livros, mas sempre admirei esse universo. Tentei ler alguns há uns anos atrás mas que não me prendiam e eu acabava deixando de lado (comecei não sei quantas vezes “a menina que roubava livros”e nunca consegui sair, sei lá, da 5ª página), mas agora acho encontrei o meu segmento favorito e sério, estou tão animada!

Enfim, pra mim tem sido muito positivo ficar em casa, tendo esse privilégio de poder fazer home office.

Tenho cuidado mais de mim, tanto por fora quanto por dentro e me sinto muuuuito mais leve. Claro que não pelo motivo de tudo isso estar acontecendo, mas exclusivamente por fica em casa.

O distanciamento social, é uma coisa que eu já praticava mesmo antes de ser obrigatório hahaha Quando eu era xóven eu era mais rolezeira, mas de uns anos pra cá, o que eu mais amo é ficar em casa e alguns roles mais sossegados, tipo ir tomar um café e bater papo.

Fora ter tido que desmarcar a viagem que seria agora no meio do ano, num geral tento não ficar pensando muito sobre isso e focar nas coisas que me distraem e me ajudam a passar o tempo. Me sinto mais inspirada (não todos os dias, as vezes só fico indo de um cômodo pro outro mesmo, e tá tudo bem) e livre fazer as coisinhas que eu gosto na hora que eu sentir vontade, sem me sentir cobrada e pressionada por mim mesma.


Comente sobre isso!

CommentLuv badge

Hey, It´s Mi! • todos os direitos reservados © 2020 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por